Leia

Textos para inspirar sua vida, família e ministério.

Uma grande novidade para todos que me acompanham é que neste ano de 2019 eu lancei um CANAL NO YOUTUBE, e com ele, um desafio de leitura da Bíblia em 365 dias. Diariamente, vou lançar um vídeo de 5-7min, comentando todos os capítulos da Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, sempre com uma aplicação prática para nosso dia a dia. Os vídeos serão simples, numa linguagem que o iniciante no estudo teológico pode compreender. As dúvidas serão respondidas nos comentários dos vídeos, e nas próximas transmissões ao vivo que faremos ao longo do ano. Acesse aqui o cronograma de leitura, e bons estudos!

A mídia tem um poder de mudar sutilmente a nossa percepção e aceitação das coisas. De fazer você achar que é normal aquilo que em outro contexto ou situação não seria normal. Quando falamos em mídia, estamos falando em mídias sociais, impressas, televisivas, radiofônicas, todas as formas, modernas ou antigas, de comunicação. Este não é um fenômeno moderno: desde os tempos antigos, quando novos imperadores assumiam o poder, eles faziam de tudo para desconstruir o passado, porque queriam passar a mensagem de que eles trariam a mudança e melhorias para aquele povo. Saiba como receber esse bombardeio de informações sem ser perturbado nem manipulado pelas pressões de opiniões!

Motivo de grandes discussões entre teólogos e historiadores, o Natal tem sido popularmente aceito como a data do nascimento de Jesus Cristo, e celebrado na maioria dos países de cultura católica e protestante no dia 25 de Dezembro. Existe alguma conexão do Natal com rituais pagãos? Se sim, isso deveria impedir os crentes de celebrar essa data hoje em dia? Leia este breve texto, e seja esclarecido e abençoado nesta questão!

Este é um artigo de opinião pessoal. Você não precisa concordar comigo, e eu, como cristão e pastor, continuo amando e respeitando quem pensa diferente. Sem me alongar na introdução, preciso fazer umas considerações iniciais: 1. Se você acha que um pastor não deve se envolver com política, leia meu texto sobre cristianismo e política, e entenda o que a Bíblia e nossa legislação dizem sobre isso. 2. A igreja que pastoreio, como instituição, não tem um candidato ou partido específico. Temos, porém, princípios específicos, que sempre defenderemos (apesar de amar quem discorda de nós). Respeitamos a diversidade política de uma nação democrática, mesmo entre nossos membros. 3. Mas eu, Edilson de Lira, como cidadão brasileiro, tenho minha opção específica de voto, e o direito de torná-la pública: